sábado, 24 de maio de 2014

QUANDO TE DÓI A ALMA



Quando estás descontente,
quando perdes a calma
e odeias toda a gente,
quando te dói a alma,
 
quando sentes, cruel,
o prazer da vingança,
quando um sabor a fel
te proíbe a esperança,
 
quando as larvas do tédio
te embotam os sentidos,
e o mal é sem remédio
e a ninguém dás ouvidos,
 
nega, recusa a dor,
abandona o deserto
das almas sem amor
e mergulha o olhar
em tudo o que está certo,
o mar, a fonte, a flor. "
 
Fernanda de Castro
in, Poesia II

2 comentários:

  1. Lindo domingo!
    Poesia...amo poesia.
    Lindo blog, ja seguindo
    deixo
    Bjins e meus sonhos e delírios
    CatiahoAlc./ReflexodAlma

    ResponderExcluir